quinta-feira, 23 de junho de 2011

Santos Tri da Libertadores e a Copeiragem

Ver o Santos jogar ontem e ser o grande campeão da Libertadores 2011 me fez tirar as seguintes conclusões:
- Para ser campeão da libertadores, uma equipe tem que ter, no mínimo, um craque. Vide Riquelme contra o Grêmio.
- Esse craque tem que ser um craque de verdade.
- Se tu tens dois craques, a vitória é quase certa.
- Ter craque faz um time ser MUITO simpático, odeio o Santos mais que o Inter, mas a vitória foi incontestável.

Alô, diretoria gremista. Espero que o uruguaio Forlan desembarque em Porto Alegre, nas próximas horas. Porque? Vejam os milhares de minis Neymares, ontem… Isso não só pode ser levado em consideração, como tem que virar padrão: craque ganha jogo, que chama/traz torcida, que aumenta faturamento, que aumenta receita, que aumenta o tamanho do clube. Simples assim.

Não um craque tal qual o MercenaR10. Esse só se queimou… Fez leilão, fez juras de amor e foi para outro time. Se queimou tanto, que nenhuma empresa quer ter sua imagem no Flamengo e associada à um traíra.

-

Depois de ler o post no Impedimento Afinal, quem é o mais copeiro, resolvi elaborar meu ranking do futebol brasileiro. Nem considerarei o Brasileirão, Copa do Brasil e afins. Não concordo com os termos que o autor daquele post usou, por simples aproveitamento no mata-mata e sem dar o devido peso às competições mais importantes.

No meu ponto de vista, seria necessário a conquista de tantos Brasileirões quanto de países filiados à Fifa, para que um time se igualasse a um campeão do mundo. Para formatar esta tabela, usei o critério de Meritocracia: como no mercado, que considera o mérito (aptidão) a razão para se atingir determinada posição. 

No caso, para uma empresa ser grande, ela tem que estar no maior número de lugares do mundo para ser multinacional. "Multinacional" = Copero y Peleador. Para um time ser grande, ele deve ir o mais longe possível: ser campeão do mundo. Deixarei de lado a bobagem de Fifa e Toyota e o escambau. Quem sempre foi considerado campeão do mundo, assim o será, nesta tabela.

Permito-me ainda, mesmo sendo gremista, usar os vices como critério de desempate. Não por favorecer a posição do meu time, mas pra separar os times que foram ao Mundial, dos que não foram. Eis a dita cuja, dispondo os maiores brasileiros:


Nessa primeira tabela, notamos que nem o Santos sendo Campeão do Mundo, no fim do ano, passará o São Paulo.

Os colorados podem ficar de cara com essa tabela, mas se eu desconsiderar o vice do Grêmio, teria de desconsiderar TODOS Toyota Cup, que era o Mundial da época. Portanto, não o façam, ok?! Não mandei perderem pro TP.

Uma das Libers do Vasco, na verdade é a precursora da atual Copa LA. Como foi reconhecida assim, foi considerada.

Outro critério de desempate são as competições extintas. Considerei quanto mais edições, maior a importância.

Abaixo os times que não chegaram a atravessar o Atlântico:
Pode parecer estranho times sem título estarem a frente de outros com Brasileirão ou Copa do Brasil. Mas o que conta é ir mais longe.

 Aqui, os times No Export:
Nos "pobres", que como eu não sairam do Brasil direito, o critério é quem conquistou título antes do outro. Brasileirão vale mais que CB, por motivos óbvios: é a Série A!

Um abraço,

Update: resolvi completar com os títulos brasileiros para desempate dos times que tinham vice nas mesmas competições. E corrigi alguns erros de atenção. Tabelas erradas abaixo:


2 comentários:

Milton Ribeiro disse...

Forlán, nunca!

Quem era o cracaço do Inter em 2006?

Ryver Brito disse...

a INFORMAÇÃO AI CO CORINTHIANS ELE TEM 2 MUNDIAIS, SENDO O PRIMEIRO TIME A GANHAR A MUNDIAL, MAIS NO ANO QUE ACORREU NAO TEVE A LIBERTADORES, FOI EM 2012 OU 2013 QUE A FIFA RECONHECEU COMO O PRIMEIRO CAMPEÃO MUNDIAL!